30th jan

Rosa’s Churrascaria

Vamos começar pontuando que o post de hoje não é reaaaalmente sobre uma churrascaria como você provavelmente conhece: o Rosa’s Churrascaria, pelo menos para mim não se aplica neste quesito.

Bem vindos novamente ao Comida Conecta! Fui a primeira vez ao Rosa’s Churrascaria quando era bem criança, bem como meu pai, o que faz deste lugar um restaurante com mais de 50 anos de história, pelo menos na minha família. Estamos falando da região do ABC, em Santo André.

Embora o Rosa’s tenha um cardápio bem variado, vou falar apenas de dois pratos, que são meus favoritos e que 90% das vezes que vou a este restaurante, peço sem o menor arrependimento de não variar para outras opções: A improvável salada de Rúcula com Torresmo Caseiro e o Filé à Parmeggiana.

Sobre o lugar em si, não teço grandes elogios. Bairro residencial, perto da divisa de Santo André com Mauá, conhecida por abrigar a fábrica da Pirelli e da Bridgestone Pneus. Mesas e cadeiras simples, com um papel manteiga em cima da toalha, bem comum aos restaurantes de famílias italianas na região. Nada refinado, mas confortável com serviço excelente.

Tá, estamos falando de algo saboroso nesse filé, certo?

Sim e não. Antes da parte “comível”, sempre penso que este lugar ocupa um lugar especial em todas as minhas memórias de infância. Sempre fui de finais de semana e raríssimas vezes o lugar não estava lotado de gente falando alto, se divertindo, comemorando aniversários, casamentos e no geral celebrando algo de bom com a mesa farta.

 

Falei lá em cima desta salada improvável: Rúcula com torresmo caseiro. Espera: salada com TORRESMO?
Sim senhores. Rúcula, simples, temperada com sal e um vinagre caseiro, que ouso dizer ser alcoólico em alguma medida, tradicional de famílias italianas da região.

Agora, e o tal do torresmo, fica como?

Barriga de porco, frita em óleo fervendo. Simples assim. Não é pururuca não ok? Torresmo mesmo, não tão durinho e crocante como o do buteco, mas simplesmente sensacional. Faz a salada sair da categoria “pratos leves” ou “entradas”. Falando em entrada, quem já foi ao lugar, sabe que servem uma porção de cebola marinada com azeite, vinagre e orégano. Simples certo?

Mas isso daqui minha gente, é delicioso. É um convite para encher a cara de cerveja, refrigerante ou suco! Gosto de variar os pratos quando visito mais de uma vez o mesmo lugar, mas repito: 90% das vezes que vim ao Rosa’s Churrascaria, pedimos o mesmo: cebola marinada de couvert, salada de entrada e filé à parmeggiana.

Okay, teremos o tal do Filé à Parmeggiana do Rosa’s Churrascaria?

A começar pelo tamanho dele, por favor não faça o erro de querer “rachar” em dois. É massivo, agressivo, um tapa na cara de qualquer machão que acha que aguenta comer. Sou de uma família de glutões, de onívoros, de pessoas que quando estão felizes comem, quando estão tristes, comem. Quando nenéns nascem, comem, quando há velórios, comem. Divida em 4 pessoas e peça um acompanhamento como polenta frita ou batata frita.


Confort food, cantinho escondido, lugar nostálgico, aquele lá que meus pais e avós iam, o maior filé a parmeggiana da sua vida. São palavras ou grupos de lembranças que acabamos criando para associar com lugares, receitas e épocas especiais da nossa vida. O Rosa’s, não importa quanto tempo passe, mantém uma qualidade constante e um carinho com o “tradicional” (fazemos assim, por que sempre fizemos e sempre faremos, sabe?) que me cativa.

Quantos lugares assim você tem guardado na mente/coração/estomago? Para mim realmente, comida conecta. Até a próxima pessoal! Teremos algumas novidades em breve!

Comentários (0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *