26th dez

Você tá falando árabe pra mim!

Já ouviram esta frase certo? Cara, não entendo disso, você está falando árabe!
Vocês já entenderam, vamos falar de comida árabe hoje, mas antes queria tirar alguns conceitos premeditados a respeito de comida árabe ou de ser árabe.

Tive o prazer de conhecer essa culinária em casa, com minha mãe e avô cozinhando kibe/quibe cru e fazendo as pastas tradicionais de grão de bico e beringela (homus e babaganuch, respectivamente). Então, primeiro conceito:


via GIPHY

Culinária árabe não se resume a shwarma/churrasco grego

Embora sejam deliciosos se feitos adequadamente. O mesmo vale para esfihas ok? Não menosprezo o Habib’s por isso, mas vamos abrir a cabeça para uma culinária e região com importância mundial.

Falamos culinária árabe, mas existe a Síria, o Líbano, a Arábia Saudita, a Palestina, o Egito e diversos outros países ok?

Já falamos sobre isso em outro posts (aqui e aqui), mas essa região abriga uma base comum e ao mesmo tempo uma ampla variedade de receitas e culturas magníficas, então vamos falar árabe aqui apenas por uma convenção tudo bem?

Nunca chame alguém que fale árabe, egípcio, farsi, sírio ou até hebraíco de “turquinho”

Pode parecer besteira, e eu mesmo fiz isso muitos anos da minha vida, mas o idioma e nacionalidade de uma pessoa dá identidade a ela. Tive a estúpida idéia de chamar uma amiga querida de família armênia de “turquinha”. Foi péssimo, até por que a Armênia teve um episódio de genocídio devido a Turquia.
Respeito a todos os países, por favor.

Legal, cadê a comida árabe?comida árabe kibe

Mês passado tive o prazer raro da minha mãe cozinhar para amigos queridos em casa. Saca só: Aquele kibe cru que eu comentei?

É cru mesmo, carne magra moída com uma série de temperos (sal, pimenta, canela e a receita da minha família) acrescidos de trigo cru igualmente moído e hidratado.

What? Comida Árabe leva Carne com CANELA!?

Sim meus caros e uma imensidão de temperos que simplesmente não estamos acostumados a usar. Por exemplo, no Homus, aquela pasta de grão de bico, é comum usar Tahine, uma pasta oleosa feita de sementes de gergelim que confere um sabor maravilhoso ao grão de bico.

comida árabe mjadra
Fonte: Pedro de Toledo de Almeida

Aqui do lado tem um preparo maravilhoso de M’jadra (ou mujadara para alguns): Arroz temperado com lentilhas e cebolas caramelizadas. Minha mãe já fez este prato com bacon no meio, o que seria proibido em uma casa islâmica, devido a restrições de carne de porco (apenas respeitem ok?).

Nesta mesma imagem no fundo está o kibe assado, simplesmente a exata e mesma receita mostrada anteriormente, acrescida de nozes e macadâmias numa camada no meio do kibe, feito ao forno até que a carne esteja cozida e o recheio amolecido.

Simplesmente divino.

comida árabe labneh
Fonte: Pedro de Toledo de Almeida

Por fim, coloco um acompanhamento muito comum na culinária árabe: Coalhada Seca. Tem gente que chama isso de o autêntico Iogurte Grego, sendo comum não apenas na região do oriente médio, mas na culinária mediterrânea também (procurem receitas de tzatziki).

Meu professor de árabe me apresentou como Labneh, nome mais comum para árabes, libaneses, sírios e ou palestinos. Coloque bastante azeite (da melhor qualidade que puder) e coma com pão e você terá uma das comidas mais antigas do mundo.

Essa refeição maravilhosa mostra apenas um pouco da culinária regional do oriente médio. Ainda haverão posts falando sobre pernil de carneiro assado, michuí, charutos de uva e repolho, chancliche, muhammara e muito mais! Gostou:? Comenta aí!

Comentários (0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *