Philly Cheesesteak

Se você já ouviu falar de um Philly Cheesesteak, parabéns. Se você já comeu um Philly Cheesesteak, excelente! Caso você tenha visitado a Philadelphia e comido um Philly Cheesesteak, meu profundo respeito por você!

Okay, okay…Vamos começar de novo.

Viemos falar hoje sobre um clássico do mundo dos sanduíches, nascido no estado da Pennsylvania, na cidade de Philadelphia, mais precisamente no sul da zona sul da cidade com dois caras chamados Pat e Harry Olivieri (logicamente italianos, para terem inventado esta delícia). Estamos falando de um sanduba feito em pão de hot dog (comprido, macio, levemente salgado) com fatias finas de Rib-Eye ou Round Steak levemente douradas numa chapa e cobertas com uma cobertura de queijo cremoso (envolvendo muitas vezes mais de um tipo).

 

 

Aqui, notem um assunto que daria papo para semanas entre os carnívoros.

Americanos (e naturalmente outros países do mundo também) cortam a carne bovina de maneira diferente da nossa. Eles abordam normalmente 12 cortes principais, maiores, enquanto o brasileiro tem pelo menos 19 cortes, privilegiando recortes menores (adoraria discutir isso aqui, mas ouvi dizer que franceses tem até 29 cortes diferentes). Sim, picanha é uma parada latino-americana, Silverside é uma parada inglesa e Brisket é uma coisa norte americana a se admirar. Voltaremos nesse tópico depois, por que é beeeeem interessante e polêmico!

Voltando a estrela deste post: Ele nasceu na década de 30 e ganhou dezenas de versões no mundo inteiro. Na cidade do Rocky Balboa, o Pat’s e o Geno’s são dois expoentes que gostaria de conhecer antes de morrer. A influência italiana na culinária norte-americana pode ser comparada com a nossa aqui também (SP tem um grande peso nessa história, bem como outros estados tem nos EUA, não é esse o ponto), e como o lance é Comida Conecta, receitas/restaurantes/pratos são passados de geração em geração para se manter vivo um legado familiar através dos sabores.

A Paula Frias teve a chance de ir no Tony Luke’s, outro monstro na cidade da Filadélfia.
Não rolou tirar foto do lanche mas de acordo com ela:

“Viajei de NYC para a Filadélfia só para comer esse cheesesteak, depois que eu me dei conta que tinha um final de semana inteiro e nenhum outro plano. Mas valeu super a pena!”

Já a Taty Nascimento teve a chance de visitar outro lugar super famoso para comer esse monstro,  Spartaro’s em Filadélfia também. Saca só a cara dele, dá fome só de ver!

 

 

Muiiiito obrigado a Paula e Taty por nos ajudarem dividindo um pouco das sua viagens para mostrar esses colossos do mundo dos sanduíches

Bem…Ficou com vontade?

NICE! Achamos o The Phillysteak Shop em São Paulo. Pertinho do Metro Vila Madalena, eles são escondidos e buscam entregar esse clássico em terras tupiniquins. O Leo, dono do lugar, me recebeu num final de tarde e foi excepcionalmente educado e gentil. Provei apenas o clássico com uma cerveja trincando de gelada, mas eles servem outras opções para complementar o cardápio.
Lugar pequeno, comida sincera, sabores acolhedores. Fica a nossa sugestão aqui para o pessoal conferir. Embaixo aqui o nosso astro e a decoração do lugar.

Na real mesmo eles vendem mais do que apenas do clássico da foto, que conta com uma carne bem preparada e saborosa em um pão macio e esquentado na grelha. O creme de queijo pessoalmente para mim fica um pouco apagado, até por que sou fã de queijos mais salgados, curtidos e com mais gordura. Eles fazem com queijo prato, mussarela e um pouco de provolone para dar a liga. Quer saber? É bom, se puder, apareça lá. Quando acho apenas poucos lugares que fazem uma receita, procuro valorizá-los pela ousadia e persistência no mercado.

Valeu, em breve a gente volta com mais posts! Espero que tenham gostado!
PS.: A gente já tinha postado o conteúdo e a querida Monique David, esposa do Heitor Marucci (que está na Irlanda esperando ela chegar em Dublin), estava EXATAMENTE na Filadélfia em uma conexão longa! Adivinha aonde ela foi comer? Philly Cheesesteak no Spartaro’s! Caraca, o Comida Conecta deve imensa GRATIDÃO por ela ter lembrado de nós! Saca só!


Ela pirou mesmo no sanduba, feito dentro de uma área de mercado na cidade, chamase Reading Terminal Market, em uma das saídas da estação de trem Jefferson.
Esse lugar conta com várias outras opções deliciosas para comer. Mas o lance tá aí: Simples, na chapa, clássico e suculento.
Leia esse comentário dela “Eu amo viajar, e quando viajo sozinha me redescubro, por que faço o que eu quero no meu tempo. Me atrapalho e me perco? Sim, as vezes, mas pergunto e me obrigo a ser melhor. Isso é muito massa!”. Gente, ela tinha 8 horas de conexão, saiu correndo do aeroporto e foi nesse lugar comer o sanduba do nosso post. Monique e Heitor, valeu mesmo! Veremos vocês falando sobre a Irlanda em breve!

Juro, correu uma lágrima aqui. Não sei se de gratidão, fome, tristeza de não estar na Filadélfia para comer isso aí, ou tudo junto.
Obrigado pessoal! Qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo. Feel Free to join. Comida Conecta

Comments (3)
  • Já fiz um desse em casa! O creme de queijo eu fiz com Provolone, parmesão e gorgonzola, junto com o creme de leite não ficou tão pesado, pelo menos para mim, mas ficou sensacional!

  • Cara! Ta aí outra coisa pra eu tentar reproduzir aqui. haha Eu comi muito sanduíche desse numa rede de lojas de conveniências que tinha na região chamada WaWa. <3

  • Q massa, além de procurar o lugar, vou tentar fazer em casa, deve ficar MUITO bom!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *