4th jul

Gua Bao – Ahn!?

Hoje vamos falar de culinária asiática. Não, não é sushi, nem sashimi. Para ser sincero, nem japonês é.
Gua Bao, pelo menos de acordo com a querida internet quer dizer pão cortado, em chinês. Você que gosta de comida oriental já deve ter visto ele com outros nomes, como Nikuman por exemplo. A origem do Gua Bao é chinesa e vamos falar hoje de duas opções em São Paulo, BEM interessantes!

Para quem nunca viu, trata-se de um pão bem macio cozido no vapor, sutilmente adocicado e cortado ao meio, recheado normalmente com barriga de porco preparada a perfeição! Vamos lá:

Bao Hut

Conhecemos o Bao Hut através do Rafael Kodato, dono da ideia toda. Ele tem já dois anos e acabou de lançar o seu food cart (para quem manja de culinária de rua japonesa, conseguiu o yatai dele, bem legal!). Além de fazer o próprio pão pessoalmente e fornecer para diversos restaurantes bem conceituados, ele monta combinações bem legais com molhos, opções vegetarianas e acompanhamentos dentro como maça verde, pickles e farofa de amendoim.

Conhecer quem faz para mim é quase mágico. Conversar, ver fazer, escutar a história do cara. Ao que realmente importa? Foto abaixo, combinação Pork Bao:

 

Da onde saiu a idéia? O Rafa conta aqui abaixo para o Comida Conecta: (a partir daqui, ele mesmo conta)

“A ideia do Bao surgiu quando ainda trabalhava em restaurante. Na época (2 anos atrás) estava como chef de sushibar em um restaurante no Itaim.  Mesmo recebendo “carta branca” dos donos, você acaba cozinhando o que ELES querem. Depois pra “melhorar” eles resolveram implementar o sistema de rodízio na casa. Eu trabalho desde os 15 anos. Hoje tenho 26. Passei por casas muito boas como o Sushi Guen e o Kinoshita. Aprendi com várias pessoas fodas. Para mim, na minha mente, passar os dias fazendo temaki de salmão com cream cheese seria desperdiçar o que aprendi com tanta gente boa! Foi aí que resolvi sair fora.

Mas, sair para trabalhar em outro restaurante e iniciar o ciclo novamente não me animava. Abrir um próprio estava fora de questão. Não tinha grana o suficiente. Por coincidência nessa mesma época estava começando o Boom da comida de rua. Vi aí a carta branca que eu sempre quis e a chance de ter um negócio próprio dentro das condições que eu tinha.

Comecei a dar uma pesquisada no mercado. Você nem precisa ir muito a fundo para ver que o que mais vende na rua é burguer. E é fácil entender o porque. Além de ser algo que todos conhecem e amam, o formato de sanduíche que dispensa talheres e o tempo de preparo relativamente rápido fazem dele um produto ideal para ser comercializado na rua.

Então pensei comigo: “Meu background é 100% comida asiática. Tenho que usar isso a meu favor. Não tem o porque de eu tentar fazer burguer. Fora que, por mais que seja o produto com mais aceitação é o que tem mais concorrência e, concorrentes de peso”!! Além disso não era o que eu queria cozinhar. Queria manter minha linha oriental, mas sabia que precisaria ser algo focado para as ruas. A pesquisa então mudou seu foco para comidas de rua da Ásia. Japão, China, Coréia. Até que me deparei com um prato Taiwanês.

O Gua Bao. Pão chinês cozido no vapor no formato de um taco, recheado com fatias de barriga de porco. Pão com carne, ou seja um sanduíche! Na hora percebi que tinha encontrado o produto certo. Formato de sanduíche, origem asiática e o melhor, não havia ninguém no mercado com foco nisso. O único problema era, nunca havia feito e, nem sabia como era feito esse tipo de pão. Foi uma luta. Para quem estava acostumado a limpar peixe todos os dias passar a trabalhar com panificação foi foda. Mas através de livros, a santa internet e 2 meses de testes chegamos em um resultado que consideramos comercializável. A partir daí o produto e a operação foram melhorando com a pratica diária. Tudo é treino! Hoje além da nossa operação de rua nos fornecemos o pão para algumas casas aqui de São Paulo. Muito grato por tudo mas longe de estar satisfeito ainda!

E em relação de como eu encaro a comida hoje? Encaro a comida como um caminho que escolhi trilhar. Um caminho longo e árduo. Trabalhar com ela requer MUITO ESFORÇO, MUITA FORÇA DE VONTADE e alguns (vários) sacrifícios. Não é pra qualquer um! Mas foi através dela que eu conheci pessoas muito boas, fiz grandes amizades e conquistei o que tenho hoje.”

 
Aqui do lado é como eles montam tudo: Simples, organizado, limpo e eficiente. Como acompanhamento eles servem Mandiopã, salgadinho frito feito a base de fécula de mandioca. Sinceramente não sei se a origem é brasileira, mas pessoalmente tem gosto de infância para mim. É frito é poucos segundos e servido logo em seguida. Muito crocante, acho que é um acompanhamento bacana pro sanduba.

 

Pestiscos do Tigrão

O Petiscos do Tigrão fica no bairro da liberdade, que atualmente está se tornando mais chinês do que japonês (podemos falar mais sobre isso depois). Na Rua Tomás Gonzaga, bem no meiozão da parte movimentada, você vai encontrar uma entrada discreta para um lugar até que pequeno. Fomos lá para experimentar o Gua Bao tradicional deles, que leva um picles de folhas de mostarda e amendoim moído. Antes que você possa torcer o nariz, isso é tradicionalmente chinês, e realmente gostoso! Pedimos duas versões: uma no vapor e outra frita. O porco estava realmente bem macio, adocicado e com tempero na medida.

Avaliando o serviço em si, fica um pouco a desejar. Não que seja bruto, mas é um pouco demorado mesmo, embora o garçom tenha sido bem educado.

Para acompanhar pedimos um Bubble Tea / Chá de Bolhas / Chá de Pobá (pode escolher, em breve falaremos mais dele) e uma sopa de Wan Tan.

Para quem não conhece o Wan Tan ou Wonton também tem origem chinesa, creio eu da região de Cantão. Exemplificando em termos mais “comuns”, trata-se de uma sopa de guioza, o primo japonês, feito com massa bem fina e recheado normalmente com carne/porco e vegetais verdes frescos (cebolinha, nirá, etc, etc).

Em termos de sabores, o caldo fica bem simples, um pouco a desejar, marcado apenas no sabor de óleo de gergelim. Mas pera, não estamos desqualificando o pedido não, é simples e gostoso, mas se o foco for a sopa, você irá encontrar opções melhores no bairro.

Pra terminar, a gente convida você a compartilhar um pouco dos lugares que você gosta. Em breve iremos falar sobre Bubble Tea e em seguida sairemos um pouco do roteiro asiáticos para dar mais uma volta ao mundo. Espero que tenham gostado de conhecer o Gua Bao!

Comentários (0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *